Confira o primeiro poster e trailer de Café Society
Kristen para a campanha Métiers d’Art Paris-Rome da Chanel
Trailer oficial de Equals é liberado


the runaways“Assistindo o filme da nossa vida é como estar em um trem-bala no Japão”, diz Cherie Currie.

 
Ela está falando de The Runaways – uma explosão de 102 minutos com a carreira de sua banda de rock inovadora, que irrompeu na cena de LA em meados da década de 1970 e mudou a cara da música antes de implodir. The Runaways, vestido com um provocante mix de couro, sapatos de salto alto, jeans apertado e lingerie, enviou ondas de choque através dos subúrbios americanos, com suas letras sexualmente carregadas e também foi a primeira banda só com garotas de hard-rock. Entre 1976 e 1979, a banda – com  a compositora e guitarrista Joan Jett; a guitarrista e vocalista Cherie Currie, a também vocalista e guitarrista Lita Ford, a baterista Sandy West, e a baixista Micki Steele (que reapareceria depois em The Bangles) – registou um alto sucesso, com seu single Cherry Bomb ganhando o mundo.

Mas agora, há mais de duas décadas, a banda, onde todas eram menores de 16 anos quando gravaram seu primeiro álbum, ganhou seu lugar no panteão dos ícones do rock, saudada como uma das bandas só de garotas mais importantes como The Go-Go’s e The Bangles. A reputação do The Runaways atraiu duas das mais quentes atrizes de Hollywood, Kristen Stewart e Dakota Fanning de The Twilight Saga nos papéis principais de Jett e Currie. Stewart, é claro, já provou-se uma espécie de garota-propaganda de angústia adolescente feminina, e ela se destaca como Jett. Dakota Fanning, entretanto, construiu sua carreira como uma atriz de filmes infantis. Ela tinha 15 anos quando rodou o filme, a mesma idade que Currie quando ela se juntou à banda.

Currie diz: “O filme  fala de muita coisa. Como você toma quase dois anos e meio anos de vida das pessoas e transformá-lo em uma hora e meia? Eles pegaram somente que eles achavam que era importante.”

Na verdade, o filme, escrito e dirigido por Floria Sigismondi – que sabe melhor dos vídeos de músicas surreais como Marilyn Manson –  tem uma visão um pouco limpa da história da banda, ambas Currie e Jett são produtoras-executivas do filme de uma versão que exorciza incidentes considerados impróprios para um filme de classificação 14 e sua audiência mais jovem.

Arriscado como é, o filme quase não toca nas experiências mais angustiantes de Currie nos dois anos com a banda.

Em sua autobiografia, Neon Angel, na qual o filme é baseado, a cantora/atriz revela como a vida de uma rock star de 16 anos de idade em Los Angeles inclui o estupro e o aborto.

 
O filme é muito bem filmado por Sigismondi, que recria o mundo da cena rock em LA, e os clichês da narrativa rock’n’roll são alimentados com uma verdade emocional feminina. As angústias adolescentes da banda são alimentados com uma complexidade que não poderia faltar em uma história centrada em adolescentes. Mesmo agora, falando com a banda antes do lançamento do filme, a complexidade emocional continua.

 
“Só agora que Joan e eu estamos fazendo algo pelo tempo perdido”, diz Currie. “Quando eu deixei The Runaways, eu pensei que ela [Joan] me queria para fora. Eu não tinha idéia do quanto ela se lamentou quando eu fui. Eu teria voltado atrás, mas estávamos tão cansados, fomos trabalhando em dois anos seguidos sem uma única folga, sem vigilância, e fazendo um monte de besteiras. Quando Lita Ford arrombou a porta do meu camarim e me ameaçou, eu pensei que já era o suficiente.”

 
O filme baseia-se na implosão da banda, como o abuso de meninas nas pílulas, pós e álcool, e encontram-se empurrando-os para a feminilidade como as pessoas discriminadas e agredidas. Jett e Currie se tornaram melhores amigas e eles ainda eram jovens demais para lidar com as pressões do estrelato, Currie, uma viciada em cocaína desde os 18 anos, saiu da banda quando estava em um comercial elevado, ansiosa para iniciar sua própria carreira solo.

 
the runaways 2“Cherie tinha muitos fãs e saiu em um monte de capas de revista, assim que eu percebi que ela achava que poderia fazer melhor por conta própria, ou pelo menos é o que eu achava que ela sentia,” diz Jett no seu tom rude de Nova York. Ironicamente, enquanto Currie encerra o primeiro grupo, Jett continuou a apreciando a carreira solo.

 
“Quando Cherie saiu do The Runaways, eu estava tão furiosa…”, Jett continua. “Ela tinha afiançado e ajudado o nosso sonho. Fiquei muito magoada e irritada por muitos anos ainda… Ela saiu em 1977 e eu cresci muito desde então.”

 
É a amizade entre Jett e Currie que conduz a narrativa do filme, com casal se unindo em 1975 em San Fernando Valley, em um clube chamado Sugar Shack, que, de acordo com Jett, tornou-se o melhor lugar para ir. “Kim Fowley e eu fui lá especificamente para encontrar uma vocalista para o de The Runaways“. Ela tinha encontrado a Kim algumas semanas antes, que foi o ‘par de ignição’ sobre a idéia de uma banda só de meninas.

 
Depois Currie foi recrutada, a banda lançou seu álbum de estréia auto-intitulado. Em 1976, enfrentou uma turnê. “Em vários shows, nóstemeram por nossas vidas.” Currie lembra.

 
“Na Europa, eu vi o futuro da música rock e eu não gostei disso”, lembra Currie, que tinha crescido idolatrando os refrões mais suave do David Bowie, Gary Glitter e T. Rex. “Punk estava em toda parte, quando estávamos na fase em que eramos bombardeadas com latas e moedas, e até cuspe em nós. Pensei que eles nos odiavam. Aparentemente, era um sinal de afeto, mas em Glasgow alguém jogou uma faca que chegou aos meus pés. Eu realmente senti como ela encaixou-se no chão.”

 
O mundo estridente dos punks do Reino Unido deu lugar ao mais suave, embora ainda muito perigosos; os fãs japoneses, que tinham impulsionado Cherry Bomb a número um das paradas japonesas, assim como quando a banda lançou seu segundo álbum, Queens Of Noise, em 1977. Quando a banda desembarcou de sua turnê asiática, foram cercadas como se fossem os Beatles. Foi também o começo do fim, a banda cada vez mais ressentida. Quando Currie deixou a banda em uma tentativa de lançar uma carreira solo no final de 1977, a banda tropeçou por mais alguns meses e começou um terceiro álbum. Até o final desse ano, a banda tinha se separado ainda mais e no início de 1979 se dividiu em meio a uma nevasca de drogas.

 
“Todos na banda tinham personalidades muito fortes e é por isso que nosso filme é interessante”, explica Kristen Stewart, que passou vários dias com Currie e Joan Jett, aprendendo sobre a história da banda e tudo sobre os membros da banda.

 
Mas Joan e Cherie, estava muito perto do final. Quando a banda se desfez, Joan começa sua própria gravadora, e é a primeira mulher a fazer isso. Ela é uma lenda, ela é uma estrela rock, ela é a rainha do rock’n’roll, o que você quiser chamá-la, mas para ela, isso foi algo inovador.

 
the runaways - bandaThe Runaways começou tudo para os apreciadores de rock and roll”, diz Stewart. “Muitas pessoas dizem, ‘eu estou em uma banda por causa de The Runaways’. Naquela época, não era normal fazer o que a Joan fez. Sempre diziam para ela: ‘Você não está certa, você é diferente, então você é uma puta’. As pessoas não queriam ver uma menina segurando uma guitarra elétrica – era feio, isso não estava certo, e agora é normal.” Acrescenta Kristen.

 
A co-estrela, Dakota Fanning é brilhante na forma como ela interpreta Currie. “Eu tenho tomado muito dela”, diz a menina de apenas 16 anos. Dado os poucos anos de Dakota, alguns ficam surpresos que os seus pais, que são cristãos devotos, deixou que a sua filha atuasse em tal filme. “Eu realmente queria fazer isso e eu realmente adorei. Cherie, quem eu estava interpretando, tinha realmente 15 anos e eu tinha 15 anos na época que retratei a sua história. Sim, era algo que eu realmente queria fazer. Muita gente não sabia nada sobre Cherie Currie e The Runaways. Eu também queria fazer algo diferente do que já tinha feito antes.”

 
Stewart concorda, destacando a influência da bandas femininas, como Courtney Love, L7 e Riot Girl.

 
diz Stewart. “Quando algo está tentando ser algo que não é, então ele se sente desonesto. Havia um monte de bandas de rock depois de The Runaways que tentavam imitá-las, mas eles simplesmente não cortaram-na. Eu acho que vai soar tão clichê.”

 
E o reino do rock ainda está repleto de clichês. É um mundo impiedoso. O filme deve ajudar a garantir que The Runaways não seja esquecida.

Fonte | Tradução: Laura – Equipe Kristen Stewart Brasil